Relatório AD-HOC

Fala pessoal, tudo beleza?

Na semana passada não foi possível fazer um post devido ao feriado de pascoa, mas voltamos agora com tudo 🙂

   

Afinal, o que é e como construir um relatório ad-hoc?

 

Em primeiro lugar precisamos entender o termo ad-hoc.
 
Sempre que utilizamos o termo ad-hoc, estamos se referindo a algo temporário e que se destina para um fim específico.
 
Neste tipo de relatório, geralmente, construímos um tabelão em que o usuário seleciona as dimensões e expressões que necessitam visualizar. Engraçado é a palavra temporário, pois se tratando de uma ferramenta super poderosa um simples tabelão não pode ser vinculado ao BI de uma grande corporação.
 
Opinião: Sabemos que isso não é verdade. O layout é importante? Muito, mas o objetivo principal é conseguir atender as necessidades do cliente da melhor maneira possível. Se para atender essa necessidade eu preciso desenvolver apenas tabelas, então bora :D!

  

Como falado anteriormente, podemos desenvolver o relatório ad-hoc apenas dentro de um tabelão ou então fazer o próprio usuário escolher o tipo de gráfico. Para esse primeiro post do assunto, irei demonstrar apenas a funcionalidade do usuário selecionar as dimensões e expressões que pretende visualizar dentro de um tabelão.

  

Em primeiro lugar precisamos criar um campo com as possíveis dimensões e outro com as expressões.

IMPORTANTE: A nomenclatura desse campo deve respeitar o prefixo utilizado na função HidePrefix, pois estes campos não deverão estar disponíveis para nossos usuários desenvolvedores (com licença named).

   

Vamos para o script!

  

1° Passo) Crie uma aba chamada AD-HOC e crie os campos (no meu exemplo vou utilizar INLINE, mas você pode ficar livre para colocar esses campos em planilha ou dentro de uma tabela em seu BD).

OBS: O conteúdo dentro do campo de dimensão e/ou expressão não necessariamente precisam possuir o mesmo nome da dimensão que será utilizada na tabela.

 

SET HidePrefix = ‘_’;

 

//Tabela com os campos de dimensões

Dimensões:
LOAD * INLINE [
_dimensao
Dimensão1
Dimensão2
Dimensão3
Dimensão4
Dimensão5
Dimensão6
Dimensão7
Dimensão8
];

 

//Tabela com expressões

Expressões:
LOAD * INLINE [
_expressao
Expressão1
Expressão2
];

  

2° Passo) Agora precisamos criar um gráfico do tipo Tabela Simples ou Tabela Dinâmica.

  

3° Passo) Após selecionar o tipo de gráfico, adicione a seguinte condição de cálculo, conforme imagem:

01 - Condição de Cálculo

Condição a ser preenchida: GetSelectedCount(_dimensao) > 0 and GetSelectedCount(_expressao) > 0

Traduzindo a expressão: Serão exibidos os dados do gráfico somente se houver, pelo menos, uma dimensão e uma expressão.

  

4° Passo) Agora precisamos adicionar as dimensões do gráfico. Note que essas dimensões não são as criadas na tabela Dimensões no primeiro passo.

Após adicionar cada uma dessas dimensões, devemos habilitar a condição “Permitir Condicional” e colocar a condição conforme a imagem abaixo:

 

02 - Condição da Dimensão

Condição a ser preenchida: SubStringCount(CONCAT(‘|’&_dimensao,’|’) & ‘|’, ‘|Dimensão1|’)

Traduzindo a expressão: Estou concatenando todos os possíveis valores do campo _dimensao e estou procurando pela string |Dimensão1|, ou seja, se o usuário selecionou o valor Dimensão1, então este campo será exibido em nosso relatório. Por que estou utilizando o pipe “|” para concatenar e para buscar a string? Pois se houver um campo Dimensão1 e um Dimensão11, então o delimitador pipe irá diferencia-lo na busca.
  

5° Passo) É necessário fazer essa ação para cada dimensão que o usuário pode selecionar.

  

6° Passo) Para as expressões deve-se habilitar o checkbox “Condicional” e fazer o mesmo, porém agora utilizando o campo _expressao na condicional, conforme imagem:

03 - Condição da Expressão

Condição a ser preenchida: SubStringCount(CONCAT(‘|’&_expressao,’|’) & ‘|’, ‘|Expressão1|’)

  

7° Passo) Disponibilizar para seleção os campos _dimensao e _expressao.

  

8° Passo) Perfumarias! 😀

  

Para fazer o download da aplicação de exemplo clique aqui.

   

Conclusão: Eu gosto muito de colocar um relatório desse tipo nos projetos, pois o usuário fica com a liberdade de criar um gráfico de acordo com o seu desejo (dentro das dimensões e expressões pré-estabelecidas).

O cuidado que precisamos ter é limitar a quantidade de dados a serem exibidos se possibilitarmos a visualização de informações de baixo nível.

  

É isso pessoal!

Na próxima semana tem mais 🙂

Anúncios